terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Rua das minhas memórias


Rua em que cresci, rua em que vivi. 

Rua em que corri descalço, rua em que brinquei com a água empossada da chuva. 

Rua que me levou a escola, rua que me trouxe de volta para casa. 

Rua onde fui comprar pão, leite e o cigarro da mãe. 

Rua onde fiz amigos, rua onde briguei. 

Rua onde vi a menina passar e me apaixonei. 

Rua onde sofri a desilusão do amor de menino, deixei de amar,  e onde amei tantas outras vezes. 

Rua da bola, do carrinho de rolimã, dos cavalos, das árvores e dos cães. 

Rua dos meus irmãos, rua onde corri da surra da mãe. 

Rua onde abracei e chorei, rua onde ri vezes sem fim. 

Rua das lembranças, rua da minha eterna saudade. 

Rua que já não encontro, quando para ela retorno. 

Rua que hoje é sonho, sonho que foi e não volta mais.


Poesia de Luis A R Branco 

Fotografia de Luis A R Branco 


2 comentários:

Jaime A. disse...

Podia também ser esta a minha rua...

Vieira Calado disse...

Pois, meu caro, a rua da nossa infância é (era) todo o nosso mundo!
Mas tudo mudou.
A nossa rua, hoje, na maioria dos casos, já é uma rua anónima.
Um forte abraço!