sábado, 20 de março de 2010

Adeus

Não há como dizer Adeus
Sem tocar em feridas
Embora o negativismo da alma aumente nossos sofrimentos
A realidade usada através da razão
Nos convence depois da superação.

Não há como dizer Adeus
Sem despedir-se de lembranças
De momentos felizes
Das horas tristes
De saudades.

Não há como dizer Adeus
Sem refletir sobre o amanhã
Sem apegar-se a rotina anterior
O frio na barriga que os cerca é sem fim a falta de coragem
Desapegar-se ao passado é uma batalha.

Não há como dizer Adeus
Sem já sentir saudades dos olhos teus
Do cheiro... da pele... dos lábios...
Os sorrisos, gargalhadas e brigas
De tudo aqui que fora importante e se foi distante!

4 comentários:

Rafael disse...

Legal a idéia do blog, sempre segui e gostei dos textos aqui postados.
Gostaria de saber como faço pra participar desta idéia, postar aqui também como colaborador. Atualmente estou com um projeto de blog(- o céu esta caindo!) mais ultimamente tenho escrito muitas coisas que não cabem dentro da temática daquele blog. Não ando com tempo pra administrar um blog sozinho, sou muito exigente quando crio uma idéia. Tenho a intenção de mostrar coisas que acredito serem diferente das que estão no meu outro blog(Poetizando Pensamentos Poéticos), o mais antigo, e das coisas que ando postando no blog atual. Se for necessário, poderia lhes enviar algum texto mais atual, pra ver se me enquadro na temática do GPS. Seria um imenso prazer para mim, como poeta que acredito ser e blogueiro por escolha mais que irefutável, poder contribuir com esta idéia.
Aguardo respostas.
Parabéns pelo blog.

Abraços.

Jaime A. disse...

Não há como dizer adeus, nunca!
Adorei este teu poema sobretude pela maneira como os sentimentos são "editados"...
Continua a postar, pf.
(os leitores/fãs agradecem)

maré disse...

o que é dizer adeus?

é um lenço subtil que se adentra nos olhos?
um coração a doer?

não sei...

Vieira Calado disse...

Também acho útil e interessante,

estes blogs colectivos.

Um abraço a todos